Jerónimo de Sousa diz que privatização da TAP é "um escândalo"

"À medida que se conhece e divulga o centeúdo do acordo, mais razões de repulsa e indignação suscita. Um negócio vergonhoso!", salientou o líder comunista.

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, reafirmou hoje em Setúbal que a privatização da TAP é "um escândalo" e exigiu o cancelamento e a reversão do que considerou ser um "ruinoso negócio para o país".

"À medida que se conhece e divulga o centeúdo do acordo, mais razões de repulsa e indignação suscita. Um negócio vergonhoso! Acenaram com dinheiro fresco para a recapitalização da TAP para justificar a sua entrega ao desbarato, mas afinal tudo indica que a recapitalização vai ser feita com os próprios meios e património da empresa", disse Jerónimo de Sousa.

O líder comunista, que falava em Setúbal no primeiro ato público da candidatura da CDU às próximas eleições legislativas, acusou também o PS, PSD e CDS de estrem a promover operações de dissimulação política, visando iludir novamente os portugueses.

"O PS, num esforço gigantesco, tenta colocar, com a mudança de líder, o contador das suas responsabilidades e conivências a zero e a fazer passar um programa de continuidade como se fosse de alternativa", disse.

"O PSD e o CDS-PP a iludir o seu profundo compromisso com as políticas de exploração e empobrecimento dos PECs e do pacto de agressão e a tentar transformar desavergonhadamente quatro anos trágicos de governo de coligação em anos de sucessos e conquistas", acrescentou o líder comunista.

A iniciativa, que reuniu mais de uma centena de apoiantes da CDU no auditório do Ninho de Novas Iniciativas Empresariais, no Mercado do Livramento, em Setúbal, contou também com a participação de Francisco Lopes, cabeça de lista às próximas legislativas pelo círculo eleitoral de Setúbal.

O candidato comunista, que também teceu duras críticas à governação PSD/CDS, responsabilizando o atual executivo pela degradação da escola pública e do Serviço Nacional de Saúde, defendeu a retoma de alguns projetos que já foram anunciados para o distrito de Setúbal, mas que nunca foram concretizados.

A construção do novo aeroporto e da terceira travessia do Tejo, bem como do polo logístico do Poceirão, foram apenas alguns dos muitos projetos referidos por Francisco Lopes, que nada disse sobre os recursos financeiros necessários para os concretizar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG