Jardim apela a "capacidade de resistência" dos madeirenses

O presidente do PSD-Madeira, Alberto João Jardim, apelou hoje à "capacidade de resistência" e "espírito de confiança" dos madeirenses para ultrapassarem a "tempestade" que se avizinha.

Jardim, dirigindo-se aos mais de 1.500 militantes que se reuniram esta noite no Madeira Tecnopolo no jantar de Natal do PSD-M, destacou a unidade da família social-democrata madeirense e a importância do "espírito positivo, ganhador, de resistência e confiança sabendo aquilo que têm de fazer para aguentar a tempestade e saber superá-la".

O líder social-democrata insular, visivelmente bem disposto, afirmou pretender deixar "uma mensagem pela positiva".

"Vamos ter dificuldades sem dúvida, vamos enfrentá-las pela positiva e vamos demonstrar que as capacidades de que demos prova nos últimos trinta e tal anos são as mesmas que temos hoje, intactas e reforçadas pela nossa experiência", disse.

Jardim destacou que em tempo de dificuldades, o Natal é tempo para o PSD-M festejar, sobretudo as três vitórias eleitorais alcançadas este ano (Presidenciais, Legislativas Nacionais e Regionais), numa conjuntura difícil.

"Apesar de termos tanta gente contra nós, de termos forças que se julgavam imbatíveis contra nós, ganhámos e humilhámos essas forças que pensavam que não eram derrotadas. Nós vencemos e humilhámos e eles não vão perdoar, não vão descansar", alertou.

Contudo, o líder do PSD-M apontou ser importante "jogar pela positiva, enfrentar as dificuldades, segurar esta situação porque desde a autonomia não houve um ano fácil" e desafiou: "Venham mais que nós PSD podemos muito bem todos com isso".

Alberto João Jardim realçou que esta quadra de natal e Fim de Ano será tempo para o "repouso do guerreiro", porque será necessário "muita força para enfrentar o que aí vem".

E acrescentou: "o que aí vem tem que ser enfrentado com a força das nossas capacidades, com o sentimento do que somos capazes. Temos de enfrentar o futuro sempre com esta ideia: cada dia que passar e pudermos resistir, em que formos aguentando os nossos ideais, é mais um dia em que nos aproximamos do sonho longínquo de todos os autonomistas sociais-democratas" que "não é agora, é daqui a uns tempos".

"Festejamos o Natal porque o Natal é argamassa, o alicerce da nossa capacidade de vencer" e um momento para celebrar a "unidade da família social-democrata que muitos quiseram pôr em causa, que tentaram quebrar".

Jardim falou ainda da oposição madeirense, considerando que é "a mais fraca" das onze legislaturas, e prometeu "não lhe ligar nestes quatro anos" e agirá "como se não existisse".

"Vão falar, vão berrar" e o PSD vai "seguir caminho e procurar atingir os objectivos, saber resistir ao cerco que porventura queiram fazer", disse.

Exclusivos