Votação do Dia Nacional do Peregrino dividiu o PS

O projeto de resolução da maioria PSD/CDS-PP para criar o Dia Nacional do Peregrino (13 de maio) foi hoje aprovado no Parlamento, embora quatro deputados socialistas tenham votado contra e outros 26 optassem pela abstenção.

Com sociais-democratas, democratas-cristãos e a maioria dos socialistas de acordo com a iniciativa, Marcos Perestrello, Sérgio Sousa Pinto, Isabel Moreira e Pedro Delgado Alves opuseram-se. PCP, com declaração de voto, BE e "Os Verdes" abstiveram-se.

Na resolução votada, a maioria PSD/CDS diz que "a criação deste dia será uma iniciativa que dignificará o papel do peregrino na construção da sociedade portuguesa".

Porque "o ato de peregrinar abrange uma amplitude que vai muito para além da condição de crente de quem o pratica, abrangendo uma dimensão social, cultural e económica que se deve também valorizar".

O plenário aprovou também, por unanimidade, um voto de saudação pelo "valor histórico e futuro da Língua portuguesa", apresentado pelo CDS-PP, por ocasião da comemoração do 800.º aniversário.

Outro projeto de resolução da maioria mereceu a unanimidade da câmara - sobre o reforço da investigação no setor produtor de pêra rocha, enquanto uma iniciativa bloquista, também relativa àquele fruto, mas visando garantir "preços justos ao produtor" foi rejeitado por PSD e CDS-PP.

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Política
Pub
Pub