Vasco Lourenço antevê manifestações em "ponto elevado"

O capitão de Abril Vasco Lourenço perspetivou hoje demonstrações populares num "ponto bastante elevado", já que as pessoas vão ter "novamente uma oportunidade" no dia 25 de Abril de "demonstrarem o seu descontentamento face à situação criada".

"Espero que, e mal será se não for, de facto, as manifestações atinjam um ponto bastante elevado, maior do que noutros anos. Este ano, o 25 de Abril vai ser novamente uma oportunidade para as pessoas demonstrarem o seu descontentamento face à situação criada", disse o coronel, atual presidente da Associação 25 de Abril, à margem de uma sessão de evocação da Revolução dos Cravos, num café-concerto, em Lisboa.

Vasco Lourenço salientou tratar-se de "uma data que diz muito a toda a gente" e reforçou a crença "no sentido de que valeu a pena, de que foi uma coisa positiva" porque "Portugal continua a ser bastante melhor do que antes do 25 de Abril".

"Não é só a questão da liberdade. Em termos de condições de vida, de desenvolvimento, no interior e não só, estamos melhor. E temos a Paz, não temos a Guerra", frisou.

A Associação 25 de Abril vai incluir no 39.º aniversário da Revolução dos Cravos a interpretação da canção 'Grândola, Vila Morena', junto da sede da Rádio Renascença (RR), no Chiado, e do quartel da GNR, no Largo do Carmo, em Lisboa.

"Não desistimos, numa luta que não é só nossa. Nós e os outros povos europeus temos de ser capazes de perceber que os inimigos não são os outros povos, mas sim o capital financeiro que nos domina a todos e os que, em cada um dos países, a ele se venderam. A nossa luta é contra os tiranos e não de uns povos contra outros povos", lê-se ainda numa mensagem da Associação 25 de Abril, que exige "a democracia com ética e justiça" para "vencer o medo, reafirmar Abril, construir o futuro".

Ler mais

Exclusivos