"Temos ainda muito, muito trabalho a fazer", diz Cavaco

O Presidente da República considerou hoje que o regresso aos mercados "foi um momento importante para Portugal", mas avisou que há ainda muito trabalho a fazer para o país estar bem estabilizado nos mercados.

"Foi um momento importante para Portugal, mas temos ainda muito, muito trabalho a fazer", afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, em declarações aos jornalistas à saída da cerimónia de entrega do Prémio Leya, que decorreu num hotel em Lisboa.

Lembrando que já na terça-feira tinha feito alusão ao trabalho que Portugal ainda tem pela frente, Cavaco Silva repetiu a ideia: "há ainda muita, muita coisa a fazer para que Portugal possa estar bem estabilizado nos mercados financeiros", disse.

Na terça-feira, o Estado português, através do instituto que gere a dívida pública (IGCP) mandatou seis bancos, entre os quais a Caixa BI, a gerirem uma emissão de obrigações do Tesouro com prazo a 10 anos, pela primeira vez desde que pediu ajuda externa em 2011.

Numa reação aos resultados da operação, em Bruxelas, o ministro de Estado e das Finanças, Vítor Gaspar, afirmou que a emissão de dívida a 10 anos foi um "grande sucesso" e salientou que a procura superou a oferta em "mais do que três vezes".

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.