Taxa sobre pensões é encenação de mau gosto ou tragédia

O PS considerou hoje que a aplicação da taxa de sustentabilidade sobre as pensões ou é uma encenação de mau gosto do Governo, ou uma realidade trágica e exigiu saber se haverá corte retroativo nas reformas.

Carlos Zorrinho, líder da bancada socialista, falava no início do debate de urgência requerido pelo PS sobre cortes nas pensões, que conta com a participação dos ministros da Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares, e da Presidência e Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes.

"A taxa de sustentabilidade sobre as reformas dos portugueses é uma encenação de mau gosto ou uma realidade trágica? Qualquer resposta dúbia ou inconclusiva mais não fará do que confirmar o pior cenário", afirmou o presidente do Grupo Parlamentar do PS, dirigindo-se à bancada do Governo.

Na sua intervenção, Carlos Zorrinho também frisou que o PS se oporá a qualquer aplicação abusiva do princípio da convergência entre os setores público e privado ao nível das pensões.

"Queremos que o Governo explique já os 750 milhões de euros que pretende sonegar [aos pensionistas] da Caixa Geral de Aposentações (CGA)", declarou o presidente do Grupo Parlamentar do PS.

Ler mais

Exclusivos