Seguro: "Há camaradas mais preocupados com o que faço ou digo do que em combater o Governo"

O secretário-geral do PS lamentou hoje que haja "camaradas" seus mais preocupados com o que ele faz ou diz do que em combater o Governo e disse esperar que os deputados socialistas estejam consigo.

Estes recados internos foram deixados por António José Seguro na sua última intervenção na reunião da Comissão Política do PS, que aprovou a abstenção dos socialistas face à proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2012.

Segundo fonte do PS, nesta sua intervenção final, Seguro salientou que assumia "toda a História" do seu partido, caso contrário não seriam digno de o liderar, mas, depois, vincou que recebeu um mandato "para fazer política com seriedade, verdade e rigor".

"Eu tenho de liderar um combate em nome do PS contra o Governo - e espero que os deputados do PS estejam comigo. À vezes vejo com preocupação camaradas mais preocupados em ver o que eu faço ou digo do que em combater o Governo", declarou, citado pela mesmo fonte.

Nesta sua intervenção, o secretário-geral do PS referiu que a execução orçamental "é mais de metade da responsabilidade do actual Governo" e que este executivo PSD/CDS também será responsável pela execução do Orçamento em 2012.

"Eu vou estar na primeira fila a responsabilizá-los - e quero ver o meu partido e o meu Grupo Parlamentar atrás de mim", disse.

Em relação à decisão do PS se abster na votação do Orçamento, Seguro alegou que o PS tem de dar "um sinal político".

"Nós precisamos de nos manter no círculo da governabilidade, o que não significa que estejamos a dizem ámen ao Governo", disse, antes de deixar um outro recado a setores que estiveram na primeira linha do anterior Governo.

"Está aqui a falar-vos um camarada que não assinou o memorando da troika, mas está aqui para honrá-lo - e honrar o PS, incluindo José Sócrates e todos os camaradas", acrescentou António José Seguro.

Relacionadas

Brand Story

Mais popular

  • no dn.pt
  • Política
Pub
Pub