Seguro diz que PS não promete o que não pode cumprir

O secretário-geral do PS afirmou na terça-feira à noite que o PS nunca esperou por nenhuma eleição para apresentar as suas propostas para o país, referindo que o partido sempre disse o que faria em cada momento se estivesse no Governo.

"Como sempre disse, tanto se serve Portugal estando no Governo como na oposição e foi isso que fizemos nestes últimos dois anos, dizendo em cada momento o que deve ser feito e o que PS faria se estivesse no Governo. Não ficámos à espera da marcação de nenhuma eleição para apresentar as nossas propostas para combater o desemprego, apoiando as empresas", disse, durante a apresentação do candidato do PS à Câmara do Barreiro.

António José Seguro referiu que o PS tem apresentado soluções e relembrou as 10 medidas que apresentou na Assembleia da República, como a criação de uma conta-corrente entre o Estado e as empresas ou uma tributação diferente para os lucros reinvestidos.

O secretário-geral do PS adiantou que perante a crise e mesmo com as propostas apresentadas, o país já não se basta a si próprio pelo que defendeu soluções conjuntas no contexto europeu para ajudar Portugal a sair da situação.

"Mesmo que o país tivesse o melhor governo do mundo, o que está longe de ser o caso, já não saímos da crise sozinhos. Temos uma dívida elevadíssima, o défice é elevado e o desemprego também, com a economia a cair. Precisamos de soluções conjuntas no contexto europeu", salientou.

António José Seguro elogiou também o candidato do PS à Câmara do Barreiro, Luís Ferreira, referindo que é importante que tenha apresentado apenas propostas para o concelho que podem ser cumpridas.

"Não prometer o que não tenhamos a certeza que podemos cumprir quando governarmos a Câmara do Barreiro ou o país. Numa altura em que tanta gente promete tanto e depois desilude as pessoas e os eleitores, pois faz o contrário, estas palavras do nosso candidato devem ser valorizadas", concluiu.