Seguro assume derrota e demite-se da liderança do PS

Líder socialista diz "cumprir a sua palavra" e revela que regressa "à condição de militante de base", que manterá após o congresso. Pelo meio, felicita António Costa.

"Vim aqui cumprir a minha palavra. Cesso hoje as minhas funções enquanto secretário-geral do PS", começou por afirmar António José Seguro, assumindo, assim, a derrota nas eleições primárias do PS, felicitando o adversário, António Costa, pelo resultado obtido.

"Regresso hoje à condição de militante de base do PS, que manterei após o congresso", que será desencadeado com a demissão do secretário-geral socialista.

Num discurso emocionado - que foi antecedido por um longo aplauso dos dirigentes e apoiantes presentes, que seria repetido no final - Seguro sublinhou o "orgulho" por "ter tomado a iniciativa e tudo ter feito" para que as eleições primárias acontecessem, a "melhor comemoração dos 40 anos do 25 de Abril".

"Felicito democraticamente o dr. António Costa e todos os que ganharam estas eleições", apontou o secretário-geral socialista. "O PS escolheu o seu candidato a primeiro-ministro, está escolhido, ponto final", sublinhou Seguro.

Depois de agradecimentos aos militantes, simpatizantes, funcionários, o líder socialista saudou "todos os portugueses", mesmo os não socialistas, pelo "carinho" com que foi recebido "nestes três anos".

Seguro não respondeu às perguntas dos jornalistas e saiu, acompanhado da mulher e filha, com uma nova longa ovação de apoiantes. Na rua, sentou-se ao volante do seu automóvel e seguiu viagem.

Ler mais

Exclusivos