Schulz altera visita e emociona empresários de diversão

O presidente do Parlamento Europeu 'quebrou' hoje o protocolo para falar com os empresários de diversão que estavam concentrados em frente à Assembleia da República. Schulz mostrou-se solidário com o descontentamento dos manifestantes, contou que já foi comerciante e deixou Luís Paulo Fernandes, representante da Associação Portuguesa de Empresas de Diversão, emocionado.

(Vídeo da Agência Lusa)

Quando assomou à varanda principal da Assembleia da República, acompanhado por Assunção Esteves, Martin Schulz foi brindado com uma salva de palmas dos empresários de diversão, que se encontravam concentrados à porta do Parlamento como forma de luta pela redução do IVA de 23 para 6%.

Schulz decidiu então descer as escadarias para falar com os manifestantes, sendo acompanhado pela presidente da Assembleia da República, os vice-presidentes do Parlamento nacional e vários deputados.

Martin Schulz, que esteve cerca de cinco minutos à conversa com Luís Paulo Fernandes, representante da Associação Portuguesa de Empresas de Diversão (APED), manifestou a sua solidariedade com estes empresários e contou que antes de ser presidente do Parlamento Europeu teve "uma pequena livraria" e "muitas vezes à noite não sabia se podia reabrir a loja no dia seguinte".

A conversa decorreu com a ajuda de um tradutor - Schulz falou em alemão e Luís Paulo Fernandes em português.

"Não posso prometer nada, mas é nossa obrigação fazer com que a vossa vida melhore", disse.

Após a breve conversa, Luís Paulo Fernandes, limpou algumas lágrimas, e disse estar emocionado com o político alemão, cujas palavras "devem ser escutadas".

O representante da APED considerou, no entanto, que estas palavras devem sensibilizar sobretudo os deputados e os responsáveis para o setor do espetáculo e diversão.

Exclusivos