Santana admite candidatar-se a Belém mesmo contra Marcelo

Pedro Santana Lopes admite que pode haver dois candidatos da direita à primeira volta das presidenciais de janeiro de 2016 e não exclui avançar mesmo que Marcelo Rebelo de Sousa o faça.

O antigo primeiro-ministro defende que os candidatos devem apresentar-se na primavera, devido às exigências da campanha. Marcelo tem defendido que os nomes devem surgir depois de outubro, o que Santana considera "impossível e ridiculamente tarde". E acrescenta:"Quem diz que só decide em outubro é porque não vai avançar."

Sobre o possível adversário à esquerda, diz que "António Guterres é mais estimulante como adversário, porque é mais forte", mas contrapõe: "Não acredito em sebastianismos, muito menos dos que vêm de pântanos." Lamenta que Belém possa ser uma segunda escolha para Guterres, se este assumir como prioridade o cargo de secretário-geral das Nações Unidas.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Exclusivos