"Quem tem medo compra um cão"

O ex-presidente da República criticou hoje o facto de as cerimónias do 5 de Outubro terem sido fechadas ao povo. E comentou a mudança de local das comemorações por razões de segurança.

"Resolvi não estar presente nessa cerimónia se o povo não está presente", disse Mário Soares durante o discurso do jantar do PS do 5 de Outubro, em Alenquer, que junta dois mil militantes.

À entrada, o histórico socialista afirmou aos jornalistas que "foi lamentável" a mudança do local das comemorações.

"Nem no 5 de Outubro de 1910" isso aconteceu. "O povo foi e festejou a vitória. Não se pode excluir o povo", sublinhou.

Em alusão à decisão de alterar o local das cerimónias da Praça do Município para o Pátio da Galé, em Lisboa, por razões de segurança, Soares referiu: "Quem tem medo, compra um cão".

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.