PSD sobe quatro pontos nas intenções de voto

O PSD é o único partido a subir na estimativa de resultados eleitorais, se neste momento se realizassem eleições legislativas, de acordo com os dados do barómetro de março de 2013, do CESOP/UCP, para o DN/JN/Antena 1/RTP.

Com mais quatro pontos percentuais que em setembro de 2012, o PSD regista agora 28% da intenção de voto dos inquiridos, depois de distribuídos os votos dos indecisos (ver ficha técnica).

O PS não capitaliza eventuais descontentamentos com o Governo, mas também não desce com a subida dos sociais-democratas: 31% (como também em setembro) - que se traduz numa diferença que estatisticamente já não é significativa entre os dois partidos.

Há um dado relevante neste barómetro: o trabalho de campo da sondagem foi realizado nos dias 9, 10 e 11 de março, uma semana depois da manifestação que reuniu centenas de milhares de portugueses nas ruas de 40 cidades.

Essa manifestação também foi expressão, em muitas palavras de ordem, de desconfiança para com os partidos e, neste barómetro, a percentagem de votos brancos e nulos mantém-se elevada (11%, o mesmo valor de setembro passado), face ao que era habitual até aí, em estudos anteriores.

Os outros partidos parlamentares registam uma quebra face ao barómetro de setembro, com o Bloco de Esquerda a ter a queda mais expressiva (de 11 para 8%, agora). CDS (menos 2%, para os atuais 5%) e CDU (menos 1%, para 12%) também não têm motivos para sorrir. Os centristas são os únicos a acusar o desgaste da coligação governamental.

Na edição impressa e epaper do DN ficará ainda a saber que avaliação fazem os portugueses da governação de Passos Coelho, do desempenho da dos partidos da oposição e as notas dos principais líderes políticos.

Ficha técnica para a imprensa

Esta sondagem foi realizada pelo Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica Portuguesa (CESOP) para a Antena 1, a RTP, o Jornal de Notícias e o Diário de Notícias nos dias 9, 10 e 11 de março de 2013. O universo alvo é composto pelos indivíduos com 18 ou mais anos recenseados eleitoralmente e residentes em Portugal Continental. Foram selecionadas aleatoriamente dezassete freguesias do país, tendo em conta a distribuição da população recenseada eleitoralmente por regiões NUT II e por freguesias com mais e menos de 3200 recenseados. A seleção aleatória das freguesias foi sistematicamente repetida até os resultados eleitorais das eleições legislativas de 2009 e 2011 nesse conjunto de freguesias, ponderado o número de inquéritos a realizar em cada uma, estivessem a menos de 1% dos resultados nacionais dos cinco maiores partidos. Os domicílios em cada freguesia foram selecionados por caminho aleatório e foi inquirido em cada domicílio o mais recente aniversariante recenseado eleitoralmente na freguesia. Foram obtidos 949 inquéritos válidos, sendo que 56% dos inquiridos eram do sexo feminino, 21% da região Norte, 20% do Centro, 37% de Lisboa, 11% do Alentejo e 10% do Algarve. Todos os resultados obtidos foram depois ponderados de acordo com a distribuição de eleitores residentes no Continente por sexo, escalões etários, região e habitat na base dos dados do recenseamento eleitoral e do Censos 2011. A taxa de resposta foi de 46,7%*. A margem de erro máximo associado a uma amostra aleatória de 949 inquiridos é de 3,2%, com um nível de confiança de 95%.

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Política
Pub
Pub