PSD considera promulgação do OE/2014 natural

O porta-voz do PSD reagiu hoje "com naturalidade" à promulgação do Orçamento do Estado (OE) para 2014 pelo Presidente da República, manifestando a "convicção plena" de que o documento "cumpre a Constituição na íntegra".

Numa curta declaração aos jornalistas no Porto, Marco António Costa reagiu ainda à anunciada decisão do Partido Socialista (PS) de solicitar a fiscalização da constitucionalidade de normas do OE, lamentando que o partido "se tenha associado à extrema esquerda nesta posição" e persista "numa linha de criar dificuldades à governação do país e de não ajudar a resolver os problemas que o próprio PS criou quando era poder".

Sublinhando "a importância que este instrumento constitui para a governação do país" e "para que Portugal em 2014 consiga colocar um ponto final no resgate financeiro a que está sujeito desde maio de 2011", o porta-voz do PSD afirmou a "enorme confiança [dos partidos da maioria, PSD e CDS-PP] na constitucionalidade" do OE 2014.

"Nenhum Governo, e particularmente os partidos da maioria, tomariam a iniciativa de, conscientemente, aprovar normas que antecipassem que eram inconstitucionais. Portanto, a nossa convicção plena é que todo o Orçamento do Estado que foi apresentado e aprovado na Assembleia da República cumpre a Constituição na íntegra", disse.

Questionado sobre a eventualidade de o Presidente da República vir ainda, à semelhança do que aconteceu em 2013, a enviar o documento para o Tribunal Constitucional para requerer a fiscalização sucessiva de algumas normas, Marco António Costa disse não fazer "comentários sobre as decisões e as putativas decisões" de Cavaco Silva.

"O Partido Social Democrata sublinha a importância deste gesto e o seu significado para a estabilidade e para a normalidade da governação em Portugal", sustentou apenas, criticando "que o Partido Socialista também se tenha associado à extrema esquerda nesta posição de pedir a inconstitucionalidade do Orçamento do Estado".

É que, recordou, "o PS foi o partido que trouxe para Portugal a 'troika', em 2011, e que deveria colaborar com este Governo e com os partidos da maioria a colocar a 'troika' fora de Portugal em 2014".

"Mas não - lamentou - o PS persiste numa linha de criar dificuldades à governação do país e não ajudar a resolver os problemas que criou quando era poder".

Relativamente às medidas previstas no OE 2014, Marco António Costa destacou "os mais de um milhão e duzentos mil pensionistas das pensões mais baixas que beneficiarão das suas pensões atualizadas e aumentadas" e os "mais de 20 mil milhões de euros" de apoios europeus previstos no âmbito do novo Quadro Comunitário de Apoio.

O Presidente da República promulgou na segunda-feira o OE para 2014, segundo foi hoje publicado em Diário da República.

Apesar de Cavaco Silva não ter solicitado a fiscalização preventiva da constitucionalidade do documento, poderá ainda enviá-lo para o Tribunal Constitucional para requerer a fiscalização sucessiva de algumas normas.

Em 2013, foi essa a "fórmula" utilizada pelo chefe de Estado, que aproveitou a tradicional mensagem de Ano Novo para anunciar que iria solicitar a fiscalização sucessiva do Orçamento para este ano, que tinha sido promulgado a 28 de dezembro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Benefícios fiscais para quê e para quem

São mais de 500 os benefícios fiscais existentes em Portugal. Esta é uma das conclusões do relatório do Grupo de Trabalho para o Estudo dos Benefícios Fiscais (GTEBF), tornado público na semana passada. O número impressiona por uma razão óbvia: um benefício fiscal é uma excepção às regras gerais sobre o pagamento de impostos. Meio milhar de casos soa mais a regra do que a excepção. Mas este é apenas um dos alertas que emergem do documento.

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la no ensino superior

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.