PS rejeita convite do PSD para debater reforma do Estado

O PS recusou hoje o convite do PSD para debater a reforma do Estado por considerar tratar-se de "mais uma encenação para distrair as atenções dos portugueses (...) em vésperas de debate orçamental".

"Acuso a receção da sua carta, propondo uma reunião entre os dois partidos a propósito daquilo a que designa por 'reforma do Estado'. Tal proposta não pode ser considerada seriamente, mas antes mais uma encenação para distrair as atenções dos portugueses", lê-se na missiva de resposta do secretário nacional socialista Miguel Laranjeiro à carta do porta-voz do PSD, Marco António Costa, hoje recebida.

O maior partido da oposição afirma ainda que "os portugueses estão fartos de conversa e mais conversas", lamentando que o PSD "tenha chumbado a proposta de metodologia da reforma do Estado que o PS entregou, em dezembro de 2012, na Assembleia da República.

Em conferência de imprensa, Miguel Laranjeiro defendeu que o convite constituiu apenas "uma encenação" para desviar as atenções do debate do Orçamento do Estado. "Numa altura em que os portugueses estão a ser vítimas de cortes e mais cortes, essa proposta [do PSD] não faz sentido", advogou, antes de referir que o executivo liderado por Pedro Passos Coelho "prometeu há mais de um ano apresentar uma reforma do Estado".

"Estamos quase em novembro e só agora aparece um documento, que não é nenhuma reforma do Estado. Se o Governo pretender apresentar propostas, que o faça aqui no parlamento e, naturalmente, o PS estará disponível para as discutir com todos os partidos", disse.

Miguel Laranjeiro declarou ainda que o país "está cansado de conversa e mais conversa por parte deste Governo e do PSD".

"O que está a acontecer agora é uma encenação do Governo na véspera da discussão do Orçamento do Estado para desviar as atenções de mais cortes nas pensões, nos salários, na educação e na saúde", acrescentou o dirigente socialista.