PS: Governo "deixa" um "País mais pobre e desigual"

Alberto Martins encerrou debate pelos socialistas a acusar Executivo de "não transformar nada na economia portuguesa". "Continua, isso sim, a beneficiar das transformações" dos governos de Sócrates, elogiou.

O líder parlamentar socialista acusou o Governo de "não transformar nada na economia portuguesa", para concluir, na sua leitura do Estado da Nação, que "o País está mais pobre, mais endividado e mais desigual", que "tem vindo a perder a esperança no futuro".

Na crítica deixada ao atual Executivo, Alberto Martins acabou por fazer o elogio das governações socialistas anteriores. Apoiante do secretário-geral do PS na disputa interna do partido, o líder da bancada defendeu que o Governo de Passos Coelho "continua, isso sim, a beneficiar das transformações realizadas no passado". E concretizou: "Quando o Governo elogia as exportações de hoje, está simplesmente a colher os louros do trabalho realizado ao longo de outras governações - as mesmas governações que [o Governo de Passos] acusa de terem reduzido a competitividade da economia portuguesa."

Na intervenção final do PS, esta quarta-feira à tarde, no debate do Estado da Nação, no Parlamento, Alberto Martins atacou ainda o Executivo por ter criticado o Trribunal Constitucional, por os juízes do Palácio Ratton terem chumbado normas do Orçamento do Estado para 2014. É, considerou, "não só uma forma de iludir a sua incompetência, mas, acima de tudo, um ataque à Constituição da República e ao Estado de Direito".

Rejeitando "a miopia de austeridade", o presidente do grupo parlamentar do PS apontou que, perante o "Estado em quer este Governo deixa Portugal", os socialistas propõem-se a fazer outro caminho: "É este Estado que vamos mudar."