Presentes de Manuel Godinho ficam para o Estado

O tribunal declarou que o Estado ficará com todos os presentes que Manuel Godinho ofereceu a alguns arguidos, incluindo as garrafas de Whisky de 20 anos e os cantis que valem acima de mil euros.

O tribunal que julgou o processo Face Oculta decidiu que o Estado vai ficar com os presentes de Manuel Godinho a alguns co-arguidos, entre os quais Paulo e José Penedos, Armando Vara e Fernando Lopes Barreira. Os items variam entre relógios de marcas de luxo a garrafas de Whisky de 20 a 30 anos.

Paulo Penedos teve que entregar uma jarra Kimono no valor de 85 euros. Armando Vara, por seu lado, perde um estojo com decantor "Herdade da Prata", uma caneta Dupon, dois relógios de marca desconhecida, e uma caneta "Mont Blanc", com um valor de 240 euros. Já Fernando Lopes Barreira entregou um "Estojo com Delicanter base prata", um relógio com um valor mínimo de 2. 565,00 euros, uma caneta "Mont Blanc" no valor 240 euros, e uma garrafa de Whisky de 30 anos, com valor de 160 euros.

A maior coleção de bebidas, contudo, pertence a José Santos Cunha, que vai ter que entregar dois baldes de gelo "Zanzibar" (um grande e um pequeno), e respetiva garrafa, uma garrafa "Spirit", uma garrafa de whisky de 18 anos, uma garrafa de vinho "OZ", um Delicanter base Madeira, e uma máquina de café Nespresso.Afonso Figueiredo Costa completa a coleção com uma garrafa de Whisky de 30 anos, uma garrafa Zanzibar, e um balde e jarro da mesma marca, com mais quatro copos.

Rogério Nogueira tem que entregar cinco Cabazes, três garrafas de whisky com cerca de 20 anos, uma taça "Zanzibar"e um Decantador de aroma. Ricardo Anjos entrega ao Estado um balde de gelo, um porta cartas "Ballon", um Decantador de vidro "Aroma", uma garrafa Bonaparte, uma caneta e uma garrafa de whisky malte.

Manuel Gomes tem que entregar um conjunto de castiçais, um estojo com centro de mesa Bahia, um Decantador "Herdade da Prata", dois Cantis, e mais uma máquina de café Nespresso.

Exclusivos