Portas defende que "quem cumpre deve ser reconhecido"

Portugal e a Irlanda cumpriram os seus acordos de ajuda externa e "devem ser reconhecidos", com o aligeiramento das condições de financiamento, defendeu hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros.

Em conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo alemão, Guido Westerwelle, o ministro Paulo Portas escusou-se a responder se espera, após o teste bem sucedido de regresso aos mercados, um maior apoio da Alemanha na UE nas negociações sobre o aligeiramento das condições de financiamento a Portugal.

"A iniciativa que Portugal e Irlanda [pedido de aligeiramento das condições de financiamento da UE] tomaram foi precisamente porque quem cumpre deve ser reconhecido. Por isso e porque para a Europa é muito importante também", disse.

"Para uma Europa coesa, competitiva, de confiança [é importante] que casos como Portugal e Irlanda sejam bem sucedidos, que os países possam regressar ao financiamento dos mercados", adiantou o chefe da diplomacia portuguesa.

Westerwelle, por seu lado, sublinhou que para a Alemanha "a disciplina orçamental é muito importante", mas também o crescimento económico e a criação de emprego.