Pires de Lima: "Milagre económico é mérito das empresas"

O ministro da Economia defendeu que o setor privado está a fazer um "esforço admirável para que a economia retome" e lamentou que a oposição não reconheça os "sinais" de crescimento que, salientou, começam a ser visíveis.

António Pires de Lima afirmou esta terça-feira, segundo e último dia das jornadas parlamentares conjuntas entre PSD e CDS, que decorrem na Assembleia da República, que as empresas "são as grandes campeãs" dos primeiros sinais de retoma económica, depois do esforço de ajustamento financeiro a que foram sujeitas.

"O Governo fez a sua parte, mas o principal mérito deste milagre económico é das empresas. Elas são as campeãs. Os trabalhadores e os gestores portugueses estão a fazer um esforço admirável para que a economia retome. E é triste que a nossa oposição não o saiba reconhecer", frisou o ministro da Economia no último painel das jornadas subordinadas ao tema "Economia e justiça social".

Por outro lado, Pires de Lima, que sucedeu a Álvaro Santos Pereira na pasta da Economia, apelou ao compromisso partidário - numa nova tentativa de aproximação ao PS - no que respeita à reforma do IRC, sublinhando que esta é "verdadeiramente estruturante" para que Portugal seja "competitivo do ponto de vista fiscal".

Na sua intervenção, o ministro centrista enfatizou ainda o aumento de atividade em setores como os do papel, minerais e combustíveis, produtos farmacêuticos, vegetais e fruta, azeites e óleos alimentares, plástico e borracha, pescado, mobiliário, têxteis e calçado, veículos, máquinas e bens de equipamento, frisando que o ritmo do crescimento nacional nessas áreas foi mais elevado do que a média registada no comércio internacional.

Exclusivos