PCP abre festival com 25 de abril na agenda

O PCP vai dedicar atenção especial aos 40 anos do 25 de Abril na 38.ª edição da "Festa do Avante!" e tentar estimular a "confiança no futuro" do povo português, prometendo discursos marcantes do secretário-geral, sexta-feira e domingo.

"Esta festa vai falar muito de futuro e de confiança no futuro, no futuro da festa, do partido e da luta do povo e do país. É disto que também precisamos neste momento, imprimir confiança a um povo que está a ser esmagado, violentado e que, por vezes, é natural que perca a confiança e até a perspetiva. Poderia destacar, pela importância política que vai ter, a abertura da festa e o conteúdo do discurso do secretário-geral. Vai ter algum impacto e vai marcar a própria festa", disse à Lusa o membro do comité central comunista Angelo Alves.

Jerónimo de Sousa vai dirigir-se aos milhares de pessoas que anualmente acorrem à Quinta da Atalaia, Seixal, pelas 19:00 horas de sexta-feira e às 18:00 de domingo, no comício de encerramento, visitando ainda a exposição de fotografia de Eduardo Gageiro sobre a "Revolução dos Cravos", na tarde de sábado.

"O tema central é, como não poderia deixar de ser, os 40 anos do 25 de Abril, mas a festa é também uma grande iniciativa de massas que ela própria imprime confiança ao povo português. Do ponto de vista do conteúdo político, no comício de domingo vamos lançar linhas próprias do PCP, anunciar medidas e ações próprias para contribuir para esse desenvolvimento da luta", continuou.

O membro da comissão política e responsável pela secção internacional do PCP salientou ainda as mais de 50 delegações de outras forças políticas estrangeiras que vão estar presentes, com especial destaque para os representantes palestinianos: Frente Popular de Libertação da Palestina, Frente Democrática de Libertação da Palestina, Partido do Povo Palestiniano e Organização de Libertação da Palestina.

"No plano cultural, a oferta é imensa. Temos 10 palcos onde atuarão mais de 100 artistas musicais. Vai passar pela festa muito daquilo que de melhor se faz em Portugal de variados géneros - Buraka Som Sistema, Camané, Jorge Palma, Paulo de Carvalho, a Naifa...", afirmou.

Os três dias de "Festa do Avante!" começam com o tradicional concerto sinfónico, desta feita para cravos e orquestra e dedicado ao 25 de Abril, além dos cabo-verdianos Dany Silva e Maria Alice. Sábado, os cabeças de cartaz são Jorge Palma, acompanhado por Sérgio Godinho, bem como Naifa ou Legendary Tiger Man, entre outros.

A aquecer as hostes para o final dos espetáculos, reservado para os Buraka Som Sistema, estarão Paulo de Carvalho, Camané ou Mind da Gap, estes com Sam the kid e Valete, por exemplo.

Teatro, com a comemoração dos 40 anos da companhia A Barraca, cinema, desporto, apresentação de obras plásticas e literárias, numerosos debates sobre os mais variados temas e, claro, toda a espécie de comes e bebes, um pouco de todo o país, vão entreter os visitantes, cujo número continua a ser desconhecido.

O único dado que os responsáveis do PCP disponibilizam é o das cerca de "8.000 horas de trabalho voluntário de centenas de militantes e amigos da festa", ao longo dos fins de semana antecedentes, desde 28 de junho, para construírem e decorarem o recinto.

Ângelo Alves anunciou ainda que a primeira deslocação do cubano René Gonzalez, depois 14 anos preso nos EUA por espionagem ou conspiração, vai ser ao evento português. Gonzalez foi um dos cinco alegados agentes cubanos que estavam infiltrados em Miami e foram detidos pelas autoridades norte-americanas, permanecendo três deles presos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?