Passos diz que país precisa de mais gente no ensino superior

O primeiro-ministro defendeu hoje que Portugal já não está tão longe da média dos países mais desenvolvidos.

"Precisamos de ter mais pessoas a ter acesso ao ensino superior", disse Pedro Passos Coelho em Castelo Branco, onde se deslocou para inaugurar a Escola Superior de Artes Aplicadas (ESART) do Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB).

O primeiro-ministro disse ainda que se não fosse o 'stock' acumulado (de défice de formação superior), "seria mais fácil pensar um país com mais oportunidades para todos" e adiantou que "Portugal precisa ir mais longe, porque quem está a recuperar tem que andar mais depressa".

Mas, para que tudo isto seja possível, Passos Coelho defendeu a existência de "movimentos de transformação", quer ao nível do ensino superior universitário, quer do politécnico.

Estes movimentos, segundo o governante, devem acompanhar "as novas necessidades" e não devem "ficar presos ao passado".

"Isso depende muito das pessoas que vivem estas instituições", disse.

Neste sentido, aproveitou a oportunidade para procurar incentivar todos aqueles que estão ligados ao ensino superior e que, em sua opinião, "devem focar a sua atenção nas transformações que precisam de fazer para que também o ensino universitário e o ensino politécnico, possam ir mais ao encontro das nossas necessidades de hoje e do futuro".

Passos Coelho sublinhou ainda que há no país "muito bons exemplos de ensino superior politécnico e universitário, mas adiantou que é preciso "ter mais ainda".

E isso, só será possível através desse "movimento de reforma e de regeneração", concluiu.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Benefícios fiscais para quê e para quem

São mais de 500 os benefícios fiscais existentes em Portugal. Esta é uma das conclusões do relatório do Grupo de Trabalho para o Estudo dos Benefícios Fiscais (GTEBF), tornado público na semana passada. O número impressiona por uma razão óbvia: um benefício fiscal é uma excepção às regras gerais sobre o pagamento de impostos. Meio milhar de casos soa mais a regra do que a excepção. Mas este é apenas um dos alertas que emergem do documento.

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la no ensino superior

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.