Passos anuncia equipa multidisciplinar para plano de natalidade

O presidente do PSD e primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, anunciou hoje que convidou Joaquim Azevedo, da Universidade Católica Portuguesa, para chefiar uma equipa multidisciplinar que, em três meses, prepare um plano de ação na área da natalidade.

"Convidei o sr. professor Joaquim Azevedo da Universidade Católica Portuguesa para chefiar uma equipa multidisciplinar que, nos próximos três meses, nos deva habilitar a poder, com os outros partidos, com os parceiros sociais, formar um programa de ação que sirva para a nossa discussão na União Europeia e em Portugal", afirmou Passos Coelho, no encerramento do XXXV Congresso do PSD, em Lisboa.

O líder social-democrata referiu que o Governo irá "a seu tempo" tomar "uma iniciativa clara" na área da natalidade, mas sublinhou ser importante que os partidos assumam também as suas responsabilidades.

"Hoje, como presidente do partido, quero aqui dizer que, tal como decorre da minha moção de estratégia, nós iremos dedicar ao tema da natalidade uma importância crucial", garantiu.

Joaquim Azevedo é professor catedrático da Universidade Católica Portuguesa e presidente do Centro Regional do Porto daquela instituição.

Passos Coelho disse que o declínio da natalidade em Portugal e na Europa é "um tema crítico" e que coloca em causa a sustentabilidade do Estado social.

"Esta é uma tarefa que a todos convoca", apelou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.