Partido Comunista Chinês lança ofensiva política em Portugal

O homem forte da propaganda comunista da China esteve esta semana em Portugal, em reuniões com Passos Coelho e António Costa.

O ministro da propaganda do Partido Comunista Chinês (PCC) fez esta semana uma ofensiva política em Portugal, ao mais alto nível. À cabeça de uma delegação de 21 pessoas, Liu Qibao, dirigente máximo da propaganda e da comunicação do Politburo, reuniu-se com o primeiro-ministro e com o secretário-geral do PS. A visita acontece a duas semanas da venda do Novo Banco, processo em que a China apresenta dois dos três potenciais compradores.

Nem o gabinete de Passos Coelho, nem o de António Costa tinham divulgado publicamente o encontro com Qibao, mas a China deu-lhe destaque. S. Bento não quis adiantar pormenores da reunião, realizada dia um de julho, na qual participou também o embaixador daquele país em Portugal. "Tratou-se de uma audiência de cortesia solicitada pela Embaixada da República Popular da China em Lisboa, por ocasião da visita a Portugal do Senhor Liu Qibao", respondeu fonte oficial. No entanto, do lado chinês, não foi essa a versão. De acordo com a agência de notícias Xinhua, "a visita de três dias a Portugal" foi "a convite do partido do Governo, o PSD".

Leia mais no e-paper ou na edição impressa do DN

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".