Notícia "parecia brincadeira do dia das mentiras"

A antiga ministra das Finanças Manuela Ferreira Leite considerou hoje num programa na TVI24 que a forma como surgiu a notícia sobre novos cortes nas pensões parecia uma "notícia do primeiro de abril".

Para Manuela Ferreira Leite se uma medida desta natureza "está no Orçamento, significa que estamos, mais uma vez, perante um corte nas pensões e que não se trata de reforma da Segurança social nenhuma".

A antiga dirigente do PSD recordou que, já esta semana, Luís Montenegro negara de forma terminante estarem em preparação mais cortes de salários e pensões.

Para Ferreira Leite, o facto de uma reforma da Segurança Social estar a ser tratada ao nível das Finanças "é algo preocupante." Isto depois de já se terem feito importantes alterações, por exemplo, "na idade da reforma, já mexeram nas pensões de sobrevivência e já se alterou a contribuição extraordinária". Estas mudanças conjugadas com uma possível reforma reforma da Segurança Social" significam a existência de "muitas incertezas à volta desta matéria", sustentou a antiga ministra das Finanças de Durão Barroso.

Para Ferreira Leite, em "matéria das pensões ninguém se devia pronunciar sem ser com a maior seriedade". Factos como a notícia divulgada quinta-feira, só servem "para juntar uma incerteza à outra", disse ainda.

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.