Mota Soares e Assunção Cristas mantêm-se no Governo

Os ministros da Agricultura, Assunção Cristas, e da Solidariedade e Segurança Social vão manter-se em funções, apesar de terem colocado os lugares à disposição do partido, anunciou o presidente da Mesa do Congresso do CDS, Luís Queiró.

"Não obstante a ministra Assunção Cristas e o ministro Pedro Mota Soares terem colocado os seus cargos à disposição do partido, foi considerado importante que permaneçam no exercício de funções, tendo em vista não dificultar a superação da presente crise", anunciou Luís Queiró.

Esta foi uma das conclusões da reunião da comissão executiva do CDS-PP, que decorreu na sede do partido, em Lisboa, e que mandatou o presidente, Paulo Portas, para reunir com o líder do PSD, Passos Coelho, para tentar ultrapassar a crise no Governo, na sequência da demissão do líder democrata-cristão do cargo de ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros.

Luís Queiró leu uma declaração, não tendo respondido a perguntas da imprensa, sem esclarecer se Paulo Portas permanece na liderança do partido. Na sua declaração inicial, Queiró refere que a comissão executiva teve em conta "a natureza irrevogável" da decisão de Paulo Portas de deixar o Governo.

Relativamente ao XXV Congresso do CDS, foi dito que "a comissão executiva quer dar uma palavra de confiança aos militantes do CDS cujos representantes se reúnem este fim de semana na Póvoa de Varzim".

Exclusivos