Moedas diz que a sua pasta é "chave para crescimento"

Jean-Claude Juncker anunciou o nome de Carlos Moedas para a pasta da Investigação, Ciência e Inovação, numa conferência hoje em Bruxelas.

Num documento escrito enviado ao Diário de Notícias, Carlos Moedas considera que "a Inovação e a Investigação são a chave para o crescimento que queremos na Europa: um crescimento sustentável que promova a qualidade de vida dos Europeus. São a chave para aumentarmos a produtividade e dinamismo das nossas empresas, para competirmos pela excelência e não pelos baixos custos".

Na declaração escrita, Moedas destaca a pasta que lhe é atribuída como aquela a que é atribuído "o maior programa orçamental gerido pela Comissão Europeia (8% do total)":

"Para os próximos anos a Comissão Europeia dispõe do maior programa público de apoio à investigação e à inovação do mundo, o Horizonte 2020. Será um instrumento chave criar um novo ciclo de recuperação económica e criação de emprego na Europa", refere.

"São cerca de 80 mil milhões de euros, representando aproximadamente 8% do Orçamento comunitário, sendo o maior programa orçamental gerido pela Comissão. A título ilustrativo, trata-se de um valor da mesma ordem de grandeza do empréstimo da Troika a Portugal durante o Programa de Ajustamento (78 mil milhões de euros)", destaca Moedas, no documento em reacção ao anuncio da pasta de da Investigação, Ciência e Inovação.

O futuro comissário entende que "a capacidade de gestão, negociação e coordenação transversal são características cruciais para a liderança desta pasta".

"Trata-se de uma área que requer elevada capacidade de gestão, negociação e coordenação transversal. Portugal indicou uma pessoa com experiência relevante no mundo empresarial e na gestão financeira, com responsabilidades recentes em complexos dossiers de coordenação política e de monitorização do programa de ajustamento e agenda de reformas estruturais", diz Moedas.

Ler mais