Marcelo compara praxes ao bullying

Professor de Direito afirmou que termos de responsabilidade assinados pelos membros da comissão de praxe da Lusófona não têm valor jurídico.

Marcelo Rebelo de Sousa aconselhou hoje, no seu habitual comentário na TVI, os estudantes universitários a serem mais responsáveis com as praxes. Porque, segundo o comentador e professor na Faculdade de Direito de Lisboa, há comportamentos que ultrapassam "os limites do admissível", podendo mesmo falar-se em situações de "bullying entre adultos", dado o "clima de pressão psicológica" que pode envolver uma praxe.

Sobre o caso da morte de seis jovens na praia do Meco, Marcelo elogiou a "ponderação" de uma mãe, que evitou "lançar insinuações", pedindo apenas informação sobre o que aconteceu. Marcelo recordou que a tradição da praxe começou em Coimbra e que depois alargou-se, no início dos anos 80, ao Porto e Lisboa. Quanto ao facto de os membros da comissão de praxe da Lusófona assinarem termos de responsabilidade, o professor de Direito garantiu que os documentos não têm qualquer valor jurídico.

Em matéria de análise política, Marcelo Rebelo de Sousa recomendou "atenção" a António José Seguro, secretário-geral do PS, para as próximas eleições europeias: "Se o PS fica atrás da coligação ou ganha por uma margem ténue, António Costa disputará as próximas legislativas com Pedro Passos Coelho".

Exclusivos