Manuel António Correia candidato a líder do PSD-M

O secretário regional do Ambiente e Recursos Naturais, Manuel António Correia, é candidato à presidência do PSD-M nas próximas eleições internas do partido e Alberto João Jardim será o seu candidato à presidência da mesa do Congresso.

"Serei candidato a presidente do PSD-M caso e sempre na condição do dr. Alberto João Jardim não se recandidatar", lê-se numa declaração de Manuel António Correia a que a Agência Lusa teve acesso.

"No caso de ser candidato, o dr. Alberto João Jardim será o meu candidato à presidência da mesa do Congresso e do Conselho Regional porque entendo que a sua experiência e saber político são fundamentais para o PSD-M e para a Madeira", conclui.

Manuel António Correia assume-se, assim, como o segundo candidato à presidência do PSD-M e à presidência do Governo Regional nas eleições legislativas regionais de outubro de 2015, depois do presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Albuquerque, já o ter feito.

Manuel António Correia foi já apontado por Marcelo Rebelo de Sousa como sendo o possível sucessor de Alberto João Jardim (no poder desde 18 março de 1978) e tem vindo a ser elogiado pelo próprio presidente do Governo Regional como sendo "a esperança da Madeira".

Manuel António Rodrigues Correia tem 47 anos é natural dos Canhas, uma freguesia do concelho da Ponta do Sol e é licenciado em Direito.

Em termos partidários, foi dirigente da JSD-M, membro da Assembleia Municipal do Funchal, é atualmente vogal da Comissão Politica Regional do PSD/M tendo sido ainda recentemente eleito vogal do Conselho Nacional do PSD no último congresso realizado em Lisboa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.