Jovem em protesto canta 'Firmeza' para Cavaco Silva

As cerimónias oficiais do 5 de Outubro acabaram de forma pouco ortodoxa, com uma popular a protestar enquanto o presidente terminava o discurso e uma cantora lírica a entoar "A Firmeza", de Fernando Lopes-Graça.

A jovem Ana Maria Pinto, cantora lírica que regressou em abril a Portugal, depois de sete anos a estudar e a viver em Berlim, explicou aos jornalistas que cantar aquele tema correspondia a um "dever cívico" de resistir. "Estou a cantar em protesto por mim, pelos meus pais (...)".

A voz da cantora sobreopôs-se ao ruído provocado por u8ma manifestante que, depois de estar a contar em voz alta as suas dificuldades pessoais, tentou aproximar-se do palco, onde discursava o Presidente da República, tendo sido imediatamente bloqueada pelos seguranças, que a levaram para fora do recinto.

Entretanto, Cavaco Silva terminou o seu discurso e abandonou o Pátio da Galé.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".