João Ribeiro é o candidato PS a Setúbal

Porta-voz do PS foi escolhido para liderar a câmara de Setúbal. João Ribeiro diz que ainda não falou com Seguro sobre a sua presença no secretariado nacional do partido.

João Assunção Ribeiro, 36 anos, pós-graduado e mestre em Direito, membro do Secretariado Nacional do PS onde desempenha as funções de porta-voz e tem o pelouro das relações internacionais e cooperação, é o candidato socialista à câmara de Setúbal.

O porta-voz do Partido Socialista António José Seguro terá como adversários Luís Rodrigues candidato a presidente da Câmara Municipal de Setúbal pela coligação PSD CDS-PP e, previsivelmente, Maria das Dores Meira atual presidente da autarquia eleita pela CDU que deverá recandidatar-se.

O candidato socialista à Câmara de Setúbal, João Ribeiro, justificou a candidatura a um concelho de onde não é natural com a vontade "de dar a cara pelos setubalenses".

"É uma grande disponibilidade para, com os setubalenses, colocar Setúbal no mapa, reafirmar Setúbal, reafirmar a economia de Setúbal, afirmar Setúbal no plano nacional e no plano internacional, desenvolver turismo, lutar muito contra o desemprego mas sobretudo dar voz nacional a Setúbal", disse aos jornalistas.

Questionado sobre qual era a sua ligação ao concelho - já que o socialista é natural de S. João da Madeira - o candidato considerou que à esquerda não é possível "separar as pessoas em função da sua origem", dando o exemplo de Zeca Afonso como "uma grande figura" que não nasceu em Setúbal.

"A minha ligação é esta vontade de dar a cara pelos setubalenses e para transformar Setúbal e colocá-la no mapa. Mas, para responder diretamente à pergunta -- mas não valorizando mais isso -- tenho família em Setúbal", respondeu, perante a insistência dos jornalistas.

Para o membro do secretariado nacional do PS esta candidatura é também um "sinal muito claro que todos os candidatos do PS nestas autárquicas vão estar a lutar também para mudar de política a nível nacional".

"Foi com muita honra que aceitei o convite do secretário-geral e estou disponível para esse combate, que é feito contra dois blocos de destruição que existem hoje na sociedade portuguesa: à direita, este esforço de tentar destruir o Estado social e à esquerda o esforço de tentar destruir a credibilidade internacional de Portugal", observou.

Na opinião do socialista, o PS é "o centro da política portuguesa neste momento", sendo "a plataforma que pode mobilizar os progressistas, para uma vida melhor para os portugueses".

Garantindo que Setúbal é agora a "prioridade", João Ribeiro avançou que ainda não falou com Seguro sobre a sua presença no secretariado nacional do partido.

Ler mais