Jardim admite coligação com CDS se perder maioria

O líder do PSD-Madeira referiu ainda esta quinta-feira que a dívida da região deverá situar-se nos cinco mil milhões de euros, um montante idêntico ao passivo do Metro do Porto.

Numa entrevista à RTP-Madeira, o cabeça de lista do PSD às eleições legislativas de 9 de Outubro anunciou que o secretário regional do Plano e Finanças vai apresentar nos próximos dias "isso tudo, onde o dinheiro foi gasto".

Admitiu estar disponível, num cenário hipotético de perder a maioria nas eleições, a fazer coligação com o CDS na região.

"O CDS seria o parceiro ideal até para ficarmos conjugados, mas está a pôr aqui uma conjuntura que não me passa pela cabeça", disse.

Acrescentou que "se fosse preciso fazer coligação, o CDS facilitava até a vida da Madeira, até porque havia uma comunhão mais forte de interesses e deixava de haver estas histórias do senhor Portas lá ser aliado do PSD e aqui ser adversário do Alberto João".

Mais uma vez rejeitou que tenha ocultado dados sobre a situação da Madeira às entidades competentes e salientou "compreender" a opção do primeiro-ministro de não vir à Madeira fazer campanha eleitoral.

Exclusivos