"Instituição especializada" vai gerir parte de financiamentos dos fundos estruturais

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, confirmou hoje, em Bruxelas, que o Governo pretende orientar para uma "instituição especializada" parte de financiamentos originários dos fundos estruturais.

"Confirmo a intenção de que uma parte de financiamentos originários dos fundos estruturais possa ser utilizada por uma instituição financeira especializada, que possa alavancar melhor, isto é, fazer multiplicar esses fundos para os dirigir a um número maior de empresas e de projetos", disse Passos Coelho aos jornalistas, no final da cimeira em que os líderes europeus chegaram a acordo sobre o quadro financeiro plurianual para 2014-2020.

O primeiro-ministro acrescentou que "é conhecido" que o Governo tem a intenção de "poder vir a utilizar fundos estruturais para alavancar investimentos junto de PME [Pequenas e Médias Empresas], que possam ser melhor canalizados através de uma instituição financeira especializada".

Contudo, ressalvou, "não existe ainda um desenho final" da solução a adotar, acrescentando esperar que os ministros das Finanças, Vítor Gaspar, e da Economia, Álvaro Santos Pereira, "possam dar oportunamente algumas notícias" sobre este tema.

Passos Coelho afirmou também que Portugal pretende "aproveitar as condições de pré-financiamento que foram alcançadas para que, logo em 2014", possa "dar um nível de elevado de execução aos novos fundos".

As PME, sublinhou, deverão ser destinatárias de uma "parte muito significativa" destas verbas.

Passos Coelho disse ainda que é também objetivo do Governo "conseguir que o regime de fundo perdido possa, gradualmente, dar lugar a um regime de empréstimo, com lugar a reembolso que permitirá que o mesmo dinheiro possa, ao longo dos sete anos, estar disponível para mais empresas e, portanto, para mais projetos".

Ler mais

Exclusivos