Governo dá sinais de estar "esfrangalhado" e "esgotado"

O PS considerou hoje que o Governo revela sinais de que está "esfrangalhado" e "esgotado", dando como exemplos o processo de concessão da ANA e o regime de pagamento dos subsídios de férias e natal em duodécimos.

Falando aos jornalistas no final da reunião da bancada socialista, Carlos Zorrinho considerou que o Governo "dá todos os dias sinais de que está esfrangalhado".

Segundo o presidente do Grupo Parlamentar do PS, assiste-se "a uma remodelação aos solavancos e em direto, na RTP há avanços e recuos, ninguém se entende sobre [a forma de pagamento] dos duodécimos [referentes aos subsídios de férias e de natal] e soube-se hoje que o Governo cometeu erros técnicos inaceitáveis no plano de privatização da ANA, nomeadamente no que respeita aos aeroportos da Madeira".

Face a este panorama, Carlos Zorrinho sustentou que o Governo "dá sinais de esgotamento e de impreparação, o que é preocupante".

"Exatamente por isso, no PS, todos estamos empenhados em dar contributos para reforçar as nossas propostas, para reforçar a nossa alternativa autárquica e a alternativa política para o país", acrescentou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.