Gabinete de Passos omite BPN no currículo de Machete

A passagem do novo ministro de Estado e dos Negócios Estangeiros pelo Conselho Superior da Sociedade Lusa de Negócios, a proprietária do Banco Português de Negócios (BPN), de 2007 a 2009, não consta das "notas biográficas dos novos ministros", que o gabinete do primeiro-ministro distribuiu ontem à comunicação social.

Situação semelhante já tinha acontecido com o secretário de Estado Franquelim Alves.

Nem essa passagem nem outra pelo Conselho Consultivo do Banco Privado Português (BPP), banco que faliu e tem vários processos em tribunal.

No currículo ontem distribuído dá-se nota de que Machete é "consultor da sociedade de advogados PLMJ & Associados".

Do passado, os últimos registos reportam-se ao facto de ter sido "presidente da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento desde 1985" (omite-se a saída em 2010), de ter sido "sócio fundador da CODES e da SEDES" e "fundador e presidente do Conselho de Administração da Fundação Oliveira Martins".

Também não se diz que, em 2011, foi escolhido para vice-presidente da mesa da Assembleia Geral da CGD.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Operação Marquês

Granadeiro chama 5.º mais rico do mundo para o defender

O quinto homem mais rico do mundo, o mexicano Carlos Slim Helú, é uma das 15 testemunhas que Henrique Granadeiro nomeou para serem ouvidas na fase de instrução do processo Marquês. Começa hoje a defesa do antigo líder da Portugal Telecom, que é acusado de ter recebido 24 milhões de euros do GES para beneficiar o grupo em vários negócios.