Eurodeputados: um ano de mandato com balanço positivo e maior influência

Para o socialista Carlos Zorrinho, o primeiro ano de mandato demonstrou que a "luta que vale a pena é a luta dentro do Tratado Orçamental". Paulo Rangel explica que as áreas mais importantes estão nas mãos do PSD.

A sensação é de objetivo cumprido. Os 21 eurodeputados portugueses completam hoje um ano de mandato no Parlamento Europeu (constituído por 751 deputados) e o balanço que fazem é classificado de "muito positivo".

O PS é o mais representado, com oito, um grupo coordenado por Carlos Zorrinho, que fala com manifesto orgulho do trabalho realizados pelos socialistas portugueses, "tem sido extraordinário".

Todos conseguiram, garante, posições em comissões importantes - e Maria João Rodrigues é vice-presidente da bancada dos Socialistas e Democratas (vulgo: S&D), em que o PS português se insere.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.