"Está em fase de ser avaliado, não de proferir sentenças"

O PSD condenou hoje as declarações do deputado socialista e ex-secretário de Estado, Paulo Campos, que pediu ontem a demissão do ministro da Economia.

"O senhor ministro está no fim da sua carreira política. Faça um favor aos portugueses: deixe o lugar", afirmou o ex-secretário de Estado das Obras Públicas e Comunicações, na segunda-feira durante a audição do ministro da Economia e Emprego, Álvaro Santos Pereira, que marcou o início do debate na especialidade da proposta de lei do Orçamento do Estado para 2012.

Hoje, o deputado do PSD Luís Campos Ferreira reagiu ao sucedido, dizendo que o partido do Governo considera "profundamente lamentável" o que se passou na comissão esta segunda-feira, e instou publicamente o PS a resguardar-se das declarações do ex-secretário de Estado e actual deputado no maior partido da oposição.

"O que se passou ontem na comissão de economia foi profundamente lamentável da parte do Partido Socialista. As declarações do deputado Paulo Campos estão completamente desenquadradas daquilo que é a exigência da realidade actual do país, que deve ser uma atmosfera de serenidade, uma atmosfera de calma e uma atmosfera de trabalho. O deputado Paulo Campos fez exactamente o contrário, ou seja, tem uma atitude de declarações precipitadas, que não se coadunam com esta necessidade de atmosfera", afirmou o deputado e actual presidente da Comissão de Economia, onde estas declarações foram proferidas.

O PSD considera também que "o Partido Socialista se deve resguardar porque não contribui para o ambiente de serenidade que o país exige numa altura de reconstrução nacional".

O deputado deixa ainda mais criticas ao antigo secretário de Estado, lembrando que Paulo Campos "foi governante durante os últimos seis anos" e que enquanto tal "tomou um conjunto de decisões que comprometem o futuro do país" e ainda "as próximas gerações" e por isso, "ainda está em fase de ser avaliado" e não "em fase de proferir sentenças".

"O deputado Paulo Campos foi governante durante os últimos seis anos, e enquanto governante tomou um conjunto de decisões que comprometem o futuro do país e são decisões que comprometem as próximas gerações. Ainda está em fase de ser avaliado, não está em fase ainda de proferir sentenças, ou criar cortinas de fumo, sobre o que deve ser a avaliação do seu trabalho enquanto governante", disse Luís Campos Ferreira.

"Esperamos que o Partido Socialista se resguarde e não se comprometa com as declarações do deputado Paulo Campos. (...) Lamentamos profundamente que tenha proferido umas declarações despropositadas, com falta de senso e precipitadas", afirmou.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.