É bom que Eurogrupo flexibilize pagamento antecipado

Paulo Rangel defendeu esta quinta-feira à tarde que o Eurogrupo não deve "vedar" a possibilidade de "haver um pagamento antecipado" da dívida portuguesa, "se significar um bem para o País".

Falando aos jornalistas, à margem da Universidade de Verão do PSD - depois de ter falado para uma centena de jovens numa sessão que decorreu à porta fechada - o deputado social-democrata no Parlamento Europeu defendeu que não devem ser colocados entraves aos países se estes se "conseguirem financiar a juros menores daqueles que tinham [com os] empréstimos das 'troikas'".

O Eurogrupo reúne-se na próxima semana para discutir a possibilidade de os países poderem antecipar o pagamento de empréstimos dos seus resgates financeiros.

Rangel insistiu que o "Eurogrupo deve flexibilizar e criar a possibilidade de haver um pagamento antecipado, se significar um bem para o país" que esteve sob resgate.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.