Dez mil euros/mês "não chegam para despesas"

Cavaco Silva lamentou-se ontem com o valor das suas pensões. Mas as declarações de rendimentos referem valores muito superiores à média nacional.

O Presidente da República queixou-se ontem que o valor total das duas pensões que recebe, "tudo somado", "quase de certeza que não vai chegar para pagar as minhas despesas". São dez mil euros brutos, tudo somado: segundo as declarações de rendimentos entregues no Tribunal Constitucional, Aníbal Cavaco Silva recebeu de pensões (dados oficiais de 2009 antes da recandidatura) 140 601 euros anuais - do Banco de Portugal e como professor universitário.

Em outubro, quando do anúncio do corte dos subsídios de férias e de Natal aos pensionistas e funcionários públicos, o Presidente da República considerou-o uma "violação de um princípio básico de equidade fiscal".

Depois das declarações de ontem de Cavaco Silva, o seu mural do Facebook foi ocupado por muitos cidadãos que deixaram violentas críticas e reparos à afirmação de que "quase de certeza" não terá dinheiro suficiente para as suas despesas. Em seis horas, o DN contabilizou pelo menos 200 comentários.

Leia mais no e-paper do DN.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.