Deputados do BE abandonam hemiciclo

Catarina Martins disse que a palavra do primeiro-ministro "não vale nada" e Passos Coelho recusou-se a voltar a responder à coordenadora bloquista. BE informou Assunção Esteves e pediu conferência de líderes extraordinária.

Foi o momento caricato do debate quinzenal desta quarta-feira. Catarina Martins, coordenadora do BE, fazia uma segunda intervenção no Parlamento e, pelo meio, afirmou que "o Governo tem um problema de palavra". "A palavra do senhor primeiro-ministro não vale nada", vincou mesmo, o que motivou uma reação contundente de Passos Coelho: "Dado o valor da minha palavra, por respeito a esta câmara e por mim próprio, não estará à espera de resposta..."

E Catarina Martins insistiu: "Quer aqui esclarecer o País ou quer fazer uma birra?" Passos frisou não estar a fazer qualquer birra, mas recusou responder. A líder bloquista interpelou a presidente da Assembleia da República (AR), Assunção Esteves, sobre o silêncio do primeiro-ministro, mas este não recuou e continuou calado.

"Quem cala consente", atirou a coordenadora do BE, que sustentou que o partido que lidera "tem toda a razão" quando diz que "o Governo tem falta de palavra". Daí, à saída dos deputados decorreram poucos minutos, nos quais o líder parlamentar Pedro Filipe Soares informou Assunção Esteves das razões do abandono da sessão e pediu o agendamento para o final do plenário de uma conferência de líderes extraordinária.

Na sequência deste episódio, vários deputados do PS também deixaram o hemiciclo, indignados com a atitude de Passos Coelho.

Exclusivos