Comemorações do 25 de Abril custam até 300 mil euros

O Governo anunciou hoje que vai comemorar os 40 anos do 25 de Abril com um portal na Internet, um concerto, um roteiro de visitas, uma exposição e conferências, que custarão até 300 mil euros.

Em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros, o ministro adjunto, Miguel Poiares Maduro, referiu que "o custo da totalidade das iniciativas não irá chegar a 300 mil euros", financiados pelo Orçamento do Estado para 2014, e que esse valor "é possível porque nenhum dos comissários e das entidades associadas cobrará qualquer tipo de remuneração".

O ministro adjunto e do Desenvolvimento Regional adiantou que o executivo PSD/CDS-PP pretende que os portugueses contribuam para estas comemorações com imagens, para incluir no portal a lançar pelo Governo, e com episódios pessoais sobre o 25 de Abril, para serem narrados com a colaboração da TSF e da Antena 1.

No seu entender, "todos os portugueses devem estar disponíveis para colaborar voluntariamente" nestas comemorações que se vão estender ao longo de 2014.

Questionado se houve coordenação entre Governo, Presidente da República e Assembleia da República quanto às comemorações dos 40 anos do 25 de Abril, Miguel Poiares Maduro respondeu que "houve contactos" para "evitar que houvesse coincidências e conflitos" entre os programas.

"Esses contactos existiram, sendo que cada um desses órgãos de soberania é responsável pelo seu próprio programa de comemoração do 25 de Abril, e é assim que deve ser", acrescentou.

De acordo com o programa distribuído aos jornalistas, as comemorações promovidas pelo Governo começarão com a elaboração de um logótipo, até 25 de março, e de um portal na Internet, que deverá ser lançado a 31 de março.

Neste portal, o executivo PSD/CDS-PP quer incluir todas as iniciativas oficiais e não oficiais de celebração dos 40 anos do 25 de Abril e que os internautas insiram imagens relacionadas com a Revolução dos Cravos.

Por outro lado, será feito um apelo radiofónico ao envio de episódios pessoais para um "micro site", que posteriormente serão "contados pelas vozes de atores" na TSF e na Antena 1, como parte de "uma história popular do 25 de Abril de 1974". Segundo o ministro adjunto, isso acontecerá em abril, a partir do dia 1.

Para a noite de 24 de abril, está prevista a realização de um concerto, "em local a designar, em parceria com a RTP, que o irá transmitir em direto, composto por canções relacionadas com o 25 de Abril de 1974, cantadas por artistas com menos de 40 anos de idade", dirigido pelo maestro Rui Massena, lê-se no programa hoje divulgado.

Mais tarde, entre junho e julho, haverá "um roteiro narrativo de visitas orientadas aos locais mais emblemáticos do 25 de Abril, as quais serão acompanhadas, guiadas e explicadas por personalidades que viveram o acontecimento e por historiadores e investigadores especializados", cujo comissário é o arquiteto José Mateus.

Também em junho, deverá ser inaugurada, no Porto, seguida de itinerância, uma exposição, comissariada por Augusta Moura Guedes, "documentando a produção relacionada com a instauração e consolidação da democracia entre 1974 e 1986" e também com "produção mais recente que permita identificar os ecos de Abril no 'design' português contemporâneo".

Para setembro está previsto "um dia de conferências" sobre "o processo decisório e do voto e o próprio futuro da democracia", comissariada pelo neurocientista Rui Costa, e para novembro uma "conferência internacional" sobre "o futuro da democracia", comissariada pelo professor de economia Manuel Tavares e pelo especialista em ciência política Pedro Magalhães.

Ler mais

Exclusivos