Cinco mulheres e quatro seguristas na lista de Ferro

A lista para a bancada socialista, liderada por Ferro Rodrigues, integra quatro vice-presidentes que apoiaram o líder demissionário António José Seguro, o ex-ministro Vieira da Silva e cinco mulheres.

João Paulo Correia, Jorge Fão, Mota Andrade e Pita Ameixa são os quatro vice-presidentes escolhidos por Ferro Rodrigues que foram apoiantes de António José Seguro nas eleições primárias socialistas.

Entre as novidades está o nome do ex-ministro da Economia e da Segurança Social Vieira da Silva, que já esteve ao lado de Ferro Rodrigues na direção do PS, quando o futuro presidente da bancada socialista desempenhou as funções de secretário-geral entre 2002 e 2004.

O futuro presidente do Grupo Parlamentar do PS, Ferro Rodrigues, afirmou hoje que procurou constituir uma direção da bancada que traduzisse "qualidade" e "diversidade" e, numa nota de unidade, disse contar com "todos" os deputados socialistas.

Numa carta dirigida aos deputados do PS, à qual a agência Lusa teve acesso, Ferro Rodrigues deixa "uma palavra de agradecimento" ao seu antecessor no cargo, Alberto Martins, e explica os motivos que o levaram a aceitar as funções de presidente do Grupo Parlamentar.

"Aceitei o convite do nosso camarada António Costa para apresentar a minha candidatura a presidente do Grupo Parlamentar do PSe, desta forma, abandonar a vice-presidência da Assembleia da República, porque estou plenamente convicto que o momento que vivemos exige de todos nós o melhor do nosso esforço", escreveu o ex-secretário-geral do PS.

A lista para a direção da bancada do PS, que será votada esta sexta-feira pelos deputados socialistas, integra nas vice-presidências Ana Catarina Mendes, Hortense Martins, Inês Medeiros, Isabel Santos, e Sónia Fertuzinhos.

Ferro Rodrigues escolheu Pedro Nuno Santos e Marcos Perestrello, que continuam nas funções de vice-presidentes do Grupo Parlamentar do PS.

Para o Conselho Fiscal do Grupo Parlamentar do PS, Ferro Rodrigues propôs a deputada Odete João, tendo como vogais Agostinho Santa e Renato Sampaio.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.