Cavaco invoca São Jorge para pedir melhores dias

Depois de, na terça-feira, ter invocado Nossa Senhora de Fátima, o presidente da República invocou São Jorge, hoje, em Monção.

De visita a Monção, Cavaco Silva invocou o tradicional "combate" local entre São Jorge e o "dragão" Coca, que acontecia naquela vila no dia do Corpo de Deus e que vai realizar-se este ano no domingo seguinte devido à suspensão daquele feriado.

"Faço votos muitos fortes para que São Jorge, que nos acompanhou ao longo da nossa história nas grande batalhas, seja o vencedor. Porque São Jorge vencedor significa abundância e felicidade. E nós bem precisamos de boas notícias", disse o Presidente da República, na intervenção oficial durante a visita à Adega Cooperativa de Monção.

É que nesta luta, o "bem" é personificado por São Jorge, um cavaleiro da terra montado num cavalo branco, sendo o "mal" representado pelo dragão, uma estrutura empurrada por cerca de meia dúzia de funcionários da autarquia.

"Bem precisamos que um São Jorge qualquer nos diga que os tempos futuros serão melhores. De mais felicidade, de mais bem-estar para a nossa população", sublinhou Cavaco Silva.

Na tarça-feira, durante uma visita oficial ao Porto, o presidente da República sublinhou que com o encerramento desta sétima avaliação da troika "foi tomada uma decisão muito importante" para o futuro de Portugal. "Quando, no dia 13 de maio, surgiu a notícia de que finalmente a 7.ª avaliação tinha sido mandada para trás da costas e que estava aberto o caminho para a extensão das maturidades, a minha mulher disse-me: ó meu caro - ela [Maria Cavaco Silva] trata-me de outra forma - isto é com certeza influência de Nossa Senhora de Fátima, porque hoje é dia 13. Foi essa a razão", explicou hoje.

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.