Cavaco garante que Portugal "recuperou a credibilidade"

O Presidente da República apresentou hoje Portugal como um país que "recuperou a credibilidade" e que tem uma economia competitiva e sustentável, sublinhando os "claros sinais" de recuperação económica que têm vindo a surgir.

"Findo o programa de ajustamento, Portugal recuperou a credibilidade e o acesso aos mercados. A economia portuguesa é hoje mais competitiva, sustentável e mais integrada na economia global", afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, numa intervenção no encerramento do seminário económico Portugal-México, que decorreu num hotel em Lisboa e juntou centenas de empresários dos dois países.

Deste programa de ajustamento, acrescentou Cavaco Silva, têm vindo a surgir "claros sinais de recuperação da atividade económica, com efeitos na redução do desemprego", sendo relevante que a retoma tem sido sustentada no aumento das exportações, que subiram de 30% do PIB em 2010 para 40% em 2013.

"É este caminho que vamos continuar a trilhar", prometeu, considerando que uma economia pequena e aberta ao exterior apenas pode ser sustentável a longo prazo com um setor exportador moderno e dinâmico.

Falando perante o seu homólogo mexicano e centenas de potenciais investidores, o Presidente da República deu ainda nota da determinação de Portugal em proporcionar "um ambiente empresarial estável e atrativo" a quem investe no país.

Na sua intervenção, o chefe de Estado reiterou igualmente a necessidade de manter o ritmo das reformas estruturais e a importância do crescimento económico ter de assentar, fundamentalmente, no investimento privado, nacional e estrangeiro, e nas exportações.

"Temos em Portugal uma nova geração de empresas, com grande capacidade empreendedora, inovadora e tecnológica", frisou, considerando que o potencial de oportunidade no desenvolvimento de negócios e de parcerias entre Portugal e o México é "enorme".

Falando imediatamente a seguir a Cavaco Silva, o Presidente do México, Enrique Peña Nieto, confirmou o grande interesse das empresas do seu país em aumentar a presença em Portugal, corroborando a intenção de "dar um novo impulso" nas relações entre os dois países.

Enrique Peña Nieto fez ainda votos para que a relação entre os empresários de Portugal e do México possa gerar mais emprego e desenvolvimento económico, sublinhando querer que as empresas portuguesas vejam o seu país como "um destino confiável e seguro".

"O México é um país aberto ao mundo", acrescentou, destacando o facto de ter acordo de livre comércio com dezenas de países e uma localização privilegiada.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".