António Costa discorda da proposta para cobertura eleitoral

Líder do PS diz que tomou hoje conhecimento de "documento de trabalho" e que a bancada socialista "nunca apoiará qualquer solução legislativa que limite as liberdades de informar e ser informado"

O secretário-geral do PS veio dizer que "discorda da solução constante" da proposta de cobertura eleitoral, apresentada pelo PSD, PS e CDS, e que António Costa classifica de "documento de trabalho". "Para que não subsista qualquer dúvida quanto à posição do PS sobre a matéria deixou escrito", Costa afirma que "tem a garantia que o GP/PS [grupo parlamentar do PS] nunca apoiará qualquer solução legislativa que limite as liberdades de informar e ser informado".

Num comunicado enviado às redações, o líder socialista diz que só hoje "tomou conhecimento de um texto que, como já esclareceu a deputada [do PS] Inês de Medeiros, é um mero documento de trabalho interpartidário, que tem vindo a ser desenvolvido no âmbito da AR [Assembleia da República], sobre a cobertura jornalística das campanhas eleitorais".

Conhecida a vontade do PSD, PS e CDS em estabelecerem um visto prévio à previsão da cobertura da campanha feita pelos órgãos de comunicação social, os três partidos travaram agora essa intenção, falando numa versão preliminar do documento que foi tornada pública.

Exclusivos