António Costa avança contra Seguro

António Costa deve avançar com uma candidatura a secretário-geral do Partido Socialista.

O DN apurou que o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, será candidato a Lisboa e à liderança do PS. Costa "chamou de repente" todos os vereadores para uma reunião às 19h00, embora não os tenha informado do tema do encontro.

A decisão final de António Costa, no entanto, assegura o Expresso está dependente da decisão dos órgãos nacionais do PS. O presidente da Câmara Municipal de Lisboa só avança se os calendários forem antecipados. Ou seja, se o Congresso e as eleições diretas para a liderança se realizarem antes das eleições autárquicas.

Aos jornalistas, o presidente da Câmara de Lisboa só disse que estará na Comissão Política Nacional do PS de hoje para "ouvir o que o secretário-geral tem para dizer" e, em função disso, "dizer o que tem para dizer".

"Eu estarei logo na Comissão Política do PS para ouvir o que o secretário-geral do PS tem para nos dizer. Em função do que o secretário-geral disser eu direi o tiver para dizer. Mas compreenderão que direi primeiro aos meus camaradas", afirmou o autarca socialista aos jornalistas no final de uma curta visita à inauguração de um centro de dia em Belém.

De acordo com a Lusa, a reunião de António Costa com os vereadores durou menos de uma hora. Quando deixaram o gabinete do autarca no Largo do Intendente, os vereadores José Sá Fernandes (eleito nas listas de António Costa pelo movimento 'Lisboa É Gente') e Graça Fonseca (socialista) recusaram prestar declarações.

O vereador dos Transportes, Nunes da Silva (segundo eleito pelo movimento Cidadãos Por Lisboa), limitou-se a dizer à agência Lusa à saída da reunião que "confia na recandidatura" de António Costa à presidência da câmara de Lisboa nas eleições autárquicas do final do ano.

Contactada pela Lusa, a vereadora da Habitação, Helena Roseta, primeira eleita pelo mesmo movimento e que também esteve presente na reunião, recusou-se a prestar declarações, uma vez que tanto no caso da recandidatura a Lisboa como numa candidatura à liderança do PS será uma "decisão de António Costa" e que "é ele que tem de responder".

Exclusivos