Ant.º Costa e Basílio Horta querem gestão dos transportes

Os candidatos socialistas às câmaras de Lisboa e Sintra, António Costa e Basílio Horta respetivamente, reclamaram hoje para os municípios a gestão dos transportes públicos na Área Metropolitana de Lisboa, considerando que seria mais vantajoso para as populações.

"Hoje é impossível gerir territórios destes sem gerir o transporte público. A gestão da rede de transportes públicos no conjunto da Área Metropolitana de Lisboa [AML] deve ser feita pela Área Metropolitana envolvendo o conjunto de todos os concelhos", defendeu António Costa, no final de uma visita de comboio de Lisboa a Sintra.

Ao lado de Basílio Horta, o candidato a um novo mandato à frente da Câmara de Lisboa acrescentou ainda que "é necessário que dentro de cada um dos concelhos haja uma boa rede de transportes" depois da gestão pela AML.

Concordando com o candidato a Lisboa, Basílio Horta disse que assim seria possível uma "planificação em rede" e "servir melhor as populações".

O socialista afirmou que esta é uma questão que "tem de ser resolvida a nível político" e que "enquanto não se coloca a devolução aos municípios" da gestão da rede de transportes, Sintra "não se pode pôr de parte" nesta discussão.

No entanto, António Costa acusou o Governo de "não ter vontade de resolver" a questão e de olhar para o setor como um negócio.

"O Governo quer privatizar para arranjar dinheiro para tapar um défice que não consegue resolver", criticou.

Em Sintra, para Basílio Horta, a mobilidade interna é a "primeira prioridade", onde "o transporte está todo vocacionado para Lisboa e não para dentro do próprio concelho", contestou.

O candidato admitiu criar uma empresa municipal para garantir que "há mobilidade dentro do concelho".

António Costa, que depois de ter feito campanha em Loures e Arruda dos Vinhos marcou presença em Sintra (concelho ainda liderado pelo candidato do PSD à capital, Fernando Seara), afirmou ser importante inteirar-se dos problemas dos concelhos vizinhos também "que causam problemas em Lisboa".

"A falta de transportes em Sintra é um problema de trânsito em Lisboa. Nós recebemos impostos de 170.000 viaturas e temos de servir mais 370.000 que entram em Lisboa e que não contribuem com um cêntimo. Isto não é sustentável", disse.

Outro aspeto, acrescentou Basílio Horta, é a facilidade de relação entre autarcas do mesmo partido.

Questionado sobre a relação, até hoje, entre os autarcas de Lisboa e de Sintra, António Costa disse ser excelente: "Fernando Seara está com os dois pés em Lisboa, mas com a cabeça em Sintra".

Além das candidaturas do PS (António Costa) e da coligação PSD/CDS-PP/MPT (Fernando Seara), concorrem à câmara da capital nas eleições de 29 de setembro, a CDU (João Ferreira), o BE (João Semedo), o PPM/PND/PPV (Nuno Correia da Silva), o PCTP/MRPP (Joana Miranda), o PAN (Paulo Borges) e o PNR (João Patrocínio).

Na corrida à Câmara de Sintra, além de Basílio Horta (PS), estão Pedro Ventura (CDU), Nuno da Câmara Pereira (PND), Luís Fazenda (BE), Barbosa de Oliveira (independente), Pedro Pinto (PSD/CDS-PP/MPT), Marco Almeida (independente), José Lucena Pinto (PNR), António Laires (PCTP/MRPP), João Massena (PTP) e Nuno Azevedo (PAN).

Relacionadas

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Política
Pub
Pub