"Afirmação sobre criação de 120 mil empregos é falsa"

A CGTP contestou hoje a afirmação do primeiro-ministro sobre a criação de 120 mil postos de trabalho em 2013 e garantiu que apenas se registou uma evolução líquida de cerca de 22 mil empregos.

"Na sua mensagem de Natal o Primeiro-Ministro afirmou que o emprego começou a crescer e, em termos líquidos, até ao terceiro trimestre foram criados 120 mil postos de trabalho. Esta afirmação é falsa porque omite a destruição de cerca de 98 mil empregos ocorrida no primeiro trimestre", diz a central sindical numa nota de imprensa.

Segundo a CGTP, que cita dados do INE, "a evolução do emprego indica apenas uma evolução líquida cerca de 22 mil empregos em 2013".

A Intersindical salienta ainda a importância da "natureza dos empregos que estão a ser criados".

A análise da distribuição do emprego segundo a situação na profissão, em conjunto com a variação do emprego em 2013 em cada uma das categorias, levou a Inter a afirmar que a maioria dos novos empregos é por conta de outrem (61%), foram criados cerca de 50 mil empregos não permanentes (contratos a termos e outros) e registou-se uma diminuição de 37 mil trabalhadores por conta de outrem com contratos permanentes (sem termo).

"Paralelamente ao aumento do emprego houve um processo de substituição de trabalhadores com contratos permanentes por trabalhadores com vínculos precários", salienta a central.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Tempo de fugir de casa para regressar à terra

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.