"12 mil milhões serão suficientes para recapitalização dos bancos"

O primeiro-ministro anunciou hoje que o Conselho de Ministros deverá aprovar na próxima semana as regras para o recurso por parte da banca à linha de recapitalização de 12 mil milhões de euros do programa assistência financeira.

Durante uma conferência promovida pelo Diário Económico, num hotel de Lisboa, Pedro Passos Coelho reiterou que o Estado será um "acionista passivo" dos bancos que eventualmente recorrerem a essa linha de recapitalização.

Segundo o primeiro-ministro, "será difícil que toda a banca dispense aceder a esta possibilidade" e os 12 mil milhões "serão suficientes para acorrer a esta necessidade de recapitalização dos bancos" que, sublinhou, vai "ocorrer em toda Europa" e não "estritamente em Portugal".

Questionado sobre este assunto, o primeiro-ministro fez questão de "garantir" que, em caso de recurso a esta linha de capitalização, "o Estado não tenciona envolver-se na gestão dos bancos, não tenciona nacionalizar bancos nem ser dono de bancos".

"O Estado será um agente passivo, o que não quer dizer que não transporte recomendações, como aquelas que foram feitas em termos europeus, de não distribuição de dividendos no caso de dinheiro público ser injetado no capital dos bancos, isso parece-me evidente", acrescentou.

Ler mais

Exclusivos