Inquérito BES: PSD aposta em relatório que possa ter luz verde da oposição

Pedro Saraiva, deputado relator do inquérito ao BES/GES, apresenta hoje a versão preliminar do documento, preparado sob enorme sigilo, mas mostra abertura para acolher contributos.

Foi sob um enorme sigilo que Pedro Saraiva, deputado relator da comissão parlamentar de inquérito (CPI) ao colapso do Banco Espírito Santo (BES) e do Grupo Espírito Santo (GES), preparou a versão preliminar do relatório que hoje vai ser apresentado na sala seis da Assembleia da República. Ontem, vários deputados do PSD - o partido do relator - não conheciam sequer os contornos do documento, que à hora de fecho desta edição não tinha igualmente chegado ao parceiro de coligação, o CDS, nem à oposição.

Apesar disso, Pedro Saraiva explicou ao DN que houve "diálogo profícuo desde a primeira hora" com os coordenadores de cada partido na CPI e vincou: "Espero que reflita as perspetivas que me foram sendo transmitidas." O mesmo será dizer que a intenção do PSD passa por não extremar as conclusões e permitir que o relatório final possa ter luz verde das restantes bancadas.

O relatório, sabe o DN, tem 400 páginas e está dividido em quatro capítulos. Um primeiro de diagnóstico dos problemas do BES e do GES; o segundo com a descrição dos trabalhos da CPI; o terceiro com os factos que foram apurados durante as 55 audições e os documentos que chegaram ao Parlamento e o último de conclusões e recomendações inspiradas na derrocada do banco e do grupo.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG