Imprensa mundial faz eco de receios de Passos Coelho devido à Grécia

As páginas eletrónicas dos jornais e sites noticiosos um pouco por todo o mundo destacam a hipótese colocada terça-feira pelo primeiro-ministro português de o país precisar de um resgate financeiro suplementar se a situação na Grécia se agravar.

Em entrevista à RTP1, Pedro Passos Coelho foi questionado sobre a possibilidade de um segundo programa de apoio e na resposta referiu um cenário pessimista de eventual incumprimento por parte da Grécia.

"Se alguma coisa muito grave acontecer na Grécia não podemos excluir essas possibilidades", afirmou.

Estas declarações estão a ser divulgadas em Espanha, França, Reino Unido, Estados Unidos, Austrália ou Filipinas, com base nas agências noticiosas, nomeadamente Bloomberg, Associated Press, Reuters e EFE.

Os artigos como títulos mais repetidos são "Greek default could be disaster for Portugal" (Falha grega poderia ser um desastre para Portugal), como se encontra na Reuters, "Portugal may need fresh aid" (Portugal pode precisar de nova ajuda), escreve o Sydney Morning Herald e "Portugal PM Says Country May Need Further Aid If Greece Defaults", segundo o Wall Street Journal (primeiro-ministro de Portugal diz que país pode precisar de mais ajuda se Grécia falhar).

Em francês, o título usado pela agência AFP para as declarações do líder do Executivo é "Un défaut de la Grèce pourrait pousser le Portugal vers une nouvelle aide" (Uma falha da Grécia poderá levar Portugal a uma nova ajuda).

No jornal espanhol El Mundo lê-se que "Una quiebra griega, 'desastrosa para Portugal" (Uma quebra grega, desastrosa para Portugal", enquanto no site do canal televisivo Telecinco está o título "Portugal deja la puerta abierta a un segundo rescate si Grecia quiebra" (Portugal deixa a porta aberta a um segundo resgate se a Grécia quebrar).

Na comunicação social alemã lê-se nomeadamente no site DiePresse.com "Portugal warnt vor Domino-Effekt bei Griechen-Pleite" (Portugal alerta para efeito dominó de falências entre os gregos).

Exclusivos